Ir para o conteúdo principal

Maria João Lopes

-

A tecnologia sempre foi uma paixão e foi na Faculdade que descobriu o mundo emocionante da Indústria 4.0.

Maria João Lopes iniciou em 2016 a sua Dissertação de Mestrado na Bosch em Aveiro. O objetivo principal do seu estágio foi a implementação de um piloto MES (Manufacturing Execution System). Trabalha, desde 2017, na equipa que promove a digitalização nas fábricas de Termotecnologia da Bosch em todo o mundo. Foi nomeada para os Portuguese Women in Tech Awards 2020 na categoria Software Developer.

Porque decidiste vir trabalhar para a Bosch?

Para mim, a Bosch sempre transmitiu a imagem de uma empresa inovadora com grande foco e investimento em Investigação e Desenvolvimento. Pessoalmente, considero essa aposta realmente impressionante. Além disso, é proporcionado aos novos colaboradores o equilíbrio certo entre autonomia, formação e acompanhamento, que considero fundamental para o desenvolvimento pessoal e profissional. O facto de se tratar de uma empresa cujos produtos encontramos com tanta frequência no nosso quotidiano é também encorajador e inspirador. É uma empresa que tem, realmente, um impacto profundo na nossa sociedade e eu queria contribuir para isso.

"Há tantos projetos novos e entusiasmantes a chegar! Acho, realmente, que o melhor ainda está por vir!"
Maria João Lopes
 t

O que torna o teu trabalho na Bosch especial?

A minha equipa colabora com várias fábricas para que se possam aproveitar ao máximo os sistemas que temos disponíveis. Para mim, é muito gratificante saber que contribuímos diariamente para a melhoria dos nossos processos de fabricação e que apoiamos os nossos colegas na obtenção dos melhores resultados na fábrica. Há tantos projetos novos e entusiasmantes a chegar! Acho, realmente, que o melhor ainda está por vir! Esta é definitivamente uma grande caminhada e estou muito feliz por fazer parte dela.

 t

Nunca deixei que o facto de ser mulher me impedisse de seguir este tipo de profissão

Durante esta entrevista, Maria João Lopes fala do "gender gap" que ainda existe no mundo do trabalho e as suas causas. "Como pressões sociais e familiares para optar por outro tipo de áreas, falta de representatividade e até mesmo um desconhecimento do que é uma carreira em IT e do quão fascinante é este mundo"

Da mudança de paradigma, ao ter sido distinguida pela "Portuguese Women in Tech", Maria João Lopes fala da forma como as mulheres vencem nas áreas tecnológicas.

Qual foi a sensação de seres nomeada para os "Portuguese Women in Tech Awards 2020"?

Com a nomeação senti-me mesmo muito honrada porque há muitas mulheres em Portugal que fazem um trabalho incrível em tecnologia e que também mereciam certamente ser nomeadas e celebradas. A nomeação partiu da minha equipa e estou-lhes muito grata por isso. Espero poder ser um bom exemplo para outras mulheres que queiram singrar neste tipo de área e que lhes possa dar um pouco de alento para continuarem a lutar para atingir os seus objetivos. Acho sinceramente que, com trabalho e dedicação, tudo é possível!

 t

Maria João Lopes

Software Engineer for Industry 4.0 Applications, Bosch Termotecnologia Portugal

"Tenho 27 anos e sou de Cantanhede, distrito de Coimbra. Sempre fui muito curiosa e foi um pouco essa curiosidade que me levou a ingressar em Engenharia Física. Entrei na Bosch depois de ter participado num roadshow na universidade.

Sempre adorei ler e acho que isso sempre me deu uma maneira de pensar um pouco diferente, ou pelo menos, perspetivas distintas sobre o que me rodeia. Também adoro viajar e é uma das coisas que mais gosto em relação à minha posição apesar de agora não ser possível devido à situação pandemica atual. Gosto de me desafiar e que me desafiem e ultimamente tenho experimentado alguns desportos diferentes que têm essa caraterística."