Para explorar todas as funcionalidades deste website, são necessários cookies. Por favor ative os cookies e efetue um refresh no navegador. Após o refresh, uma janela de diálogo sobre gestão de cookies será mostrada.

Este website utiliza cookies por razões de funcionalidade, comodidade e estatística. Poderá alterar esta configuração a qualquer momento, clicando em "Alterar configurações". Caso concorde com esse uso de cookies clique em "Sim, eu concordo". A nossa política de privacidade

Servo freio da Bosch

 
 
 

Contactos


Bosch Portugal
Comunicação Corporativa
EN 16 - Km 3.7 - Cacia
3800-533 Aveiro
Portugal
Telefone +351 234 925 000

 

28/07/2017 | Portugal | Notícias Produtos

Há 90 anos a contribuir para melhorar sistemas de travagem e a segurança rodoviária

  • Em 1927 foi introduzido no mercado o primeiro servo freio Bosch-Dewandre para os veículos comerciais.
  • O servo freio aproveita todo o potencial da travagem com um esforço físico mínimo para o condutor.
  • As inovações da Bosch em sistemas de travagem: servo freio, ABS, Controlo de Tracção, ESP, ABS para motociclos, Travagem Automática de Emergência, Controlo de Estabilidade para Motociclos - MSC.

Há 90 anos que as inovações da Bosch relacionadas com o sistema de travagem proporcionam uma maior segurança na condução em todo o mundo, contribuindo desta forma para o progresso técnico e para a melhoria da segurança rodoviária. A necessidade de fazer com que o sistema seja cada vez mais eficaz tem levado a empresa líder em componentes automóveis a oferecer aos automobilistas uma travagem com a máxima segurança e comodidades possíveis.

“O ritmo do automóvel moderno oferece uma sensação especial a que ninguém consegue resistir e que nenhum automobilista deseja voluntariamente perder”. Com estas palavras, o diretor de publicidade da Bosch, Fritz Seitz, descrevia, no ano de 1927, um desenvolvimento novo e interessante da Bosch: um servo freio para camiões, ao qual seguiria mais tarde, o servo freio para carros ligeiros.

O risco da alta velocidade naqueles dias era claro, portanto, existia a necessidade de encontrar uma forma de a reduzir rapidamente. Aliada à mesma, a indústria automóvel encontrou outro desafio: Os carros eram cada vez mais potentes e rápidos, mas os freios não evoluíam ao ritmo da potência do motor. A resposta da Bosch para este problema foi o “servo freio Bosch-Dewandre”. Este dispositivo, patenteado pelo engenheiro belga Albert Dewandre, utilizava o vácuo criado no coletor de admissão de ar do motor quando o condutor levantava o pé do acelerador.

Servo freio Bosch-Dewandre - 1927

Nos anos 20, os automóveis já alcançavam os 80km/h, no entanto, os freios apenas estavam à altura dessas prestações. A Bosch assumiu o desafio de procurar uma solução para esta situação perigosa e, em 1927, lançou no mercado o primeiro servo freio para veículos comerciais que conseguiriam reduzir cerca de 35% a distância da travagem. O sistema aproveitava a pressão negativa que se produzia no coletor de admissão do motor ao levantar o pé do acelerador para reforçar o efeito da travagem. Um ano mais tarde, era lançado o “Bosch Bremshelf”, um equipamento de travagem mais completo e ligeiro, desenhado especificamente para ser montado num automóvel. Nas décadas seguintes, a Bosch expandiu as suas atividades para tudo o que estava relacionado com o freio. Desde então, as inovações sucessivas da empresa marcaram o desenvolvimento técnico do sistema: desde os sistemas inteligentes de travagem até aos sistemas de assistência à condução.

Com pouco esforço

Desde os princípios da década de 1920, os carros eram equipados com freios nas quatro rodas, o que reduzia as distâncias de travagem: enquanto um carro equipado unicamente com freios nas duas rodas, que circulava a 35 quilómetros por hora, podia parar completamente depois de percorrer uma distância de 18 metros, os freios aplicados às quatro rodas reduziam a distância para os 11 metros. Mas recorde-se que esta potência de travagem só poderia ser alcançada através da aplicação de um esforço físico extremo sobre o pedal. Foi apenas após a introdução do servo freio que a potência total de travagem nas quatro rodas passou a realizar-se mediante uma pressão moderada sobre o pedal. O servo freio aproveitava assim todo o potencial de travagem sobre as quatro rodas, libertando desta forma o condutor de um duro trabalho físico que às vezes podia chegar a ser perigosamente incompleto em situações críticas. No caso dos veículos, o efeito da travagem normal correspondia a um aumento da pressão do pedal de cerca 30kg - mais de um terço do peso corporal médio disponível para a travagem.

Além de uma maior comodidade e segurança, o servo freio oferecia vantagens económicas que a Bosch destacou até nas primeiras descrições do produto: um folheto de 1928 destacou que o transporte de mercadorias mais rápido do que a concorrência exigia altas velocidades que apenas se justificariam caso a travagem segura e eficaz fosse garantida. O facto de o servo freio não significar custos adicionais de funcionamento, tais como o consumo de combustível adicional, converteu-o rapidamente numa opção mais interessante para o setor do transporte.

Da invenção à inovação

O desenho do sistema de Dewandre estava bem pensado mas a sua comercialização apenas foi possível graças à Bosch. Trata-se de um exemplo das inovações que a Bosch introduziu na indústria do automóvel e que, embora conhecidas pela sua eficácia teórica no uso em veículos, apenas se podiam realizar na prática caso se fossem fabricadas em grandes quantidades: A formulação em forma de patente estava muito frequentemente longe da sua realização e de conseguir converter o servo freio num produto comercializável pronto para produção em massa.

Atualmente

Hoje em dia, a Bosch é líder de mercado em sistemas de travagem para quatro e duas rodas, tais como o sistema anti bloqueio de travões ABS, o Programa Eletrónico de Estabilidade- ESP-, e o Controlo de Estabilidade para Motociclos - MSC.

A Bosch é o único fabricante que oferece uma gama completa de freios para o mercado de peças: fricção, hidráulica e eletrónica. O seu catálogo atual inclui todo o tipo de produtos para o sistema de freios: desde pastilhas, discos, sapatos, tambores, kits de freio a tambor, indicadores de desgaste, acessórios de montagem, cilindros mestre de freio, cilindros de roda, reguladores da força de travagem…, até servos freios, grupos hidráulicos, unidades de controlo e sensores ABS/ESP.

Inovações da Bosch em sistemas de travagem

1927: Servo freio / Amplificador da força do freio

1936: Patente do Sistema Antibloqueio de Freios ABS

1978: Primeiro sistema Antibloqueio de Freios ABS de série

1980’: Invenção da fundição do alto carbono para discos de freio

1986: Sistema de Controlo de Tração (ASR)

1994: ABS para Motas

1995: Programa Electrónico de Estabilidade, ESP®

2010: Sistema de travagem de emergência de previsão

2010: Pinça de freio IPS

2013: Sistema de Travagem Regenerativa para veículos híbridos ESP® hev

2013: Amplificador electromecânico de força de travagem, iBooster

2013: Controlo de Estabilidade para Motas, MSC

2014: Pastilhas de travão livres de cobre

2016: Líquido de travão de altas prestações ENV4 e ENV6

A Bosch é representada em Portugal pela Bosch Termotecnologia, em Aveiro, a Bosch Car Multimedia Portugal, em Braga, e a Bosch Security Systems – Sistemas de Segurança, em Ovar. Nestas localizações, a empresa desenvolve e fabrica soluções de água quente, multimédia automóvel e sistemas de segurança e comunicação, 95% dos quais exportadas para os mercados internacionais. A sede do Grupo no país está em Lisboa, onde são realizadas atividades de vendas, marketing, contabilidade e comunicação, bem serviços partilhados de recursos humanos e comunicação para o Grupo Bosch. Além disso, a empresa possui ainda um uma subsidiária da BSH Eletrodomésticos, em Lisboa. Com mais de 4.000 colaboradores, a Bosch é um dos maiores empregadores industriais de Portugal e gerou, em 2016, 1,1 mil milhões de euros em vendas internas.

Visite as nossas redes sociais em

www.facebook.com/GrupoBoschPortugal

www.linkedin.com/company/bosch-portugal

Grupo Bosch

O Grupo Bosch é líder mundial no fornecimento de tecnologia e serviços. A empresa emprega mais de 390.000 colaboradores em todo o mundo (a 31.12.2016), que contribuíram para gerar uma faturação de 73,1 mil milhões de euros em 2016. As operações do Grupo estão divididas em quatro áreas de negócio: Soluções de Mobilidade, Tecnologia Industrial, Bens de Consumo, e Tecnologia de Energia e Edifícios. Líder em IoT, a Bosch oferece soluções inovadoras para casas e cidades Inteligentes, mobilidade e indústria conectada. A empresa utiliza o seu conhecimento em tecnologia de sensores, software e serviços, bem como a sua própria cloud IoT para oferecer aos seus clientes soluções conectadas e em diversos domínios a partir de uma única fonte. O objetivo estratégico da Bosch é fornecer inovações para uma vida conectada. Os produtos e serviços do Grupo Bosch são concebidos para cativar e melhorar a qualidade de vida das pessoas através de soluções inovadoras e úteis. Desta forma, a empresa oferece mundialmente "Tecnologia para a Vida". O Grupo Bosch é composto pela Robert Bosch GmbH e cerca de 450 subsidiárias e empresas regionais presentes em aproximadamente 60 países. Incluindo os representantes de vendas e serviços, a rede mundial de desenvolvimento, produção e distribuição da Bosch está presente em quase todos os países. A sua força inovadora é a base para a continuidade do crescimento da empresa. Em cerca de 120 localizações em todo o mundo, a Bosch empresa 59.000 colaboradores em investigação e desenvolvimento.

A empresa foi fundada em Estugarda no ano de 1886 por Robert Bosch (1861-1942) como uma “oficina de mecânica de precisão e eletricidade”. A estrutura acionista da Robert Bosch GmbH garante a autonomia empresarial do Grupo Bosch, tornando possível o planeamento a longo prazo e a realização de investimentos significativos para salvaguarda do seu futuro. 92 por cento das ações da Robert Bosch GmbH são detidas pela Fundação Robert Bosch, uma fundação beneficente. A maioria dos direitos de voto é detida pela Robert Bosch Industrieltreuhand KG, uma trust industrial a quem está cometida a gestão dos ativos empresariais. As restantes ações são detidas pela família Bosch e pela Robert Bosch GmbH.

Para mais informações, consultar:

www.bosch.com

www.bosch-press.com

twitter.com/BoschPresse