Portugal

Totalmente carregado

A bateria do futuro

Thorsten Och é especialista em baterias e está a trabalhar para assegurar a eletromobilidade. Em Renningen, está a investigar baterias de iões de lítio que permitem conduzir maiores distâncias sem recarregamento e a um custo mais baixo.

Daqui a dez anos, cerca de 15 % de todos os veículos novos em todo o mundo terão transmissão elétrica. Mas, ainda assim, existe um problema: com um peso de 230 quilos, a bateria de um carro elétrico atual oferece apenas cerca de 18 a 30 quilowatt por hora. "Para que a eletromobilidade seja amplamente aceite, os veículos de média gama devem garantir 50 quilowatt de energia por hora", afirma Ochs.
Em conjunto com uma equipa internacional, Ochs está a desenvolver meios de armazenamento de energia ainda mais potentes. O objetivo é armazenar 50 quilowatt/hora em 190 quilos. Investigadores procuram, também, reduzir significativamente o tempo que os carros necessitam para recarregar. "As nossas baterias novas devem estar 75 % carregadas em menos de 15 minutos", diz Ochs.
O conhecimento no campo das células de estado sólido para baterias de lítio, assim como patentes exclusivas, terão um papel importante para atingir esses objetivos. "As células de estado sólido poderão ser uma tecnologia inovadora crucial", afirma Ochs. Um carro elétrico equivalente, que atualmente percorre 150 quilómetros, será capaz de percorrer mais de 300 quilómetros sem recarregar, e a um custo mais reduzido.
Com a aquisição da Seeo Inc., start-up sediada em Silicon Valley, a Bosch conta agora com o conhecimento prático essencial para fabricar baterias inovadoras de estado sólido. Essas baterias têm outra grande vantagem: são totalmente produzidas sem eletrólitos líquidos, que se encontram nas baterias de iões de lítio e podem, eventualmente, representar um risco para a segurança.

"Desempenhamos um papel crucial na inovação da eletromobilidade"

 

– Thorsten Ochs

Links Relacionados