Portugal

Condução automatizada

Breve olhar sobre o futuro

Como será conduzir um carro daqui a dez anos? Isto é o que Lutz Bürkle está a tentar descobrir através da investigação de cenários específicos. A sua visão: um futuro sem acidentes de trânsito.

Os peões são os utilizadores da estrada mais vulneráveis. Em 2014, 523 peões morreram nas estradas alemãs. O objetivo de Lutz Bürkle é mudar isto e, é por isso que está a trabalhar num sistema de assistência com a capacidade de fazer desviar o veículo, podendo, assim, evitar até 58 % das colisões com peões.
Para testar o novo sistema, Bürkle e a sua equipa construíram um veículo de investigação. Um dos seus componentes-chave é uma câmara de filmar estéreo. Montada atrás do para-brisas, disponibiliza imagens em 3D da área ao redor do veículo e, não só deteta peões, como também deteta trânsito e obstáculos na estrada. Um computador no porta-bagagens analisa a informação e, se um peão aparecer de repente no campo de visão, o sistema analisa a probabilidade de colisão e traça a rota que deve ser utilizada para evitá-la. Tudo isto acontece mais de 10 vezes por segundo, ou seja, à velocidade da luz.
"Temos de prever onde o peão poderá estar dentro de um segundo", explica Bürkle. O desenvolvimento dos algoritmos que isto requer é o foco do trabalho da equipa. A experiência multifacetada da Bosch em software, que a empresa está a expandir ainda mais, desempenha aqui um papel importante.
Em Renningen, graças à pista de testes construída no novo campus de investigação, Bürkle pode testar imediatamente no seu PC, os algoritmos por ele desenvolvidos. O trabalho dos investigadores da Bosch está a ajudar no desenvolvimento da condução automatizada. A partir de 2020, espera-se que a tecnologia da Bosch permita que a condução automatizada nas estradas seja feita sem a supervisão do condutor.

"Imagine que o seu carro conduz sozinho enquanto lê o jornal atrás do volante. É nisso que estamos a trabalhar".

 

- Lutz Bürkle

Teaser link icon

Links Relacionados